Prestação de serviços de consultoria – Sublime Comporta

A SUBLIME COMPORTA adjudicou em Setembro de 2020 à TARH serviços de consultadoria e apoio à exploração dos recursos de água subterrânea daquela prestigiada unidade hoteleira do concelho de Grândola.

Esta prestação de serviços inclui, ainda, a gestão de um sistema de infiltração de águas residuais tratadas na própria ETAR do hotel, de admirável enquadramento no espaço, uma vez que todo o conjunto se encontra em harmonia com a flora local.

A TARH foi, também, encarregada pela SUBLIME COMPORTA de manter atualizados todos os contactos institucionais com a APA (relatórios, declarações on line, etc).

 

 

Perímetros de Proteção para a Câmara Municipal de Marvão

Foi adjudicada à TARH em 2020 a tarefa de definição de Perímetros de Proteção para cinco captações de água subterrânea para abastecimento público da Câmara Municipal de Marvão.

Os Perímetros de Proteção a captações de água subterrânea para abastecimento público conforme o Decreto-Lei nº 382/99, de 22 de Setembro são um “instrumento preventivo para assegurar a proteção das águas subterrâneas”, uma vez que a sua qualidade é “suscetível de ser afetada pelas atividades socioeconómicas, designadamente pelos usos e ocupações do solo, em particular pelas áreas urbanas, infraestruturas e equipamentos, agricultura e zonas verdes”.

Os Perímetros de Proteção são um importante instrumento de Ordenamento do Território que impõe restrições ao uso do solo devendo por isso ser delimitados com base no conhecimento das características dimensionais das captações e do modelo conceptual do aquífero onde estão inseridas.

O rigor topográfico da implantação é, também, fundamental para o sucesso de operações deste tipo pois estão em causa restrições importantes ao uso do solo.

 

 

Estudo de viabilidade geotérmica no Aeroporto do Montijo

A VINCI CONSTRUCTION GRAND PROJECTS, adjudicou à TARH, em Dezembro de 2019, a prestação de serviços de consultoria relacionados com um estudo de viabilidade para o desenvolvimento de um sistema de aquecimento/arrefecimento geotérmico no terminal do aeroporto do Montijo.

A TARH procedeu à inventariação de toda a informação hidrogeológica e geotérmica disponível da área que incluiu a fundamental consulta dos arquivos da geologia profunda de Portugal na DGEG.

No final, para além do modelo conceptual geotérmico da área os recursos geotérmicos clássicos de baixa entalpia e os recursos de geotermia superficial foram associados às diversas formas de consumo térmico à superfície tendo sido desenvolvidos vários cenários de aplicação.

 

 

Projeto e acompanhamento de uma sondagem de pesquisa e captação de água mineral natural nas Caldas do Gerês

Teve início no mês de Novembro de 2019 a sondagem de pesquisa e captação de água mineral natural nas Caldas do Gerês denominada Coração de Jesus 1 (CJ1). O projeto foi realizado pela TARH (geólogos José Martins Carvalho e Marina Paiva) que igualmente fizeram o acompanhamento da obra em estreita ligação com o então Diretor Técnico da Concessão, o Sr. Prof Alberto Lima.

A sondagem apresenta forte artesianismo positivo (cerca de 60m acima do terreno) e temperatura de 51ºC.

A exploração desta captação abre perspetivas risonhas ao desenvolvimento dos recursos hidrominerais e geotérmicos das Caldas do Gerês, cuja concessão está atribuída à Empresa das Águas do Gerês, que em boa hora decidiu promover esta obra.

 

Seminário de Geotermia no âmbito do Projeto GeoAtlantic (30 de Setembro e 1 de Outubro de 2019)

Nos dias 30 de Setembro e 1 de Outubro de 2019, decorreu no ISEP (Instituto Superior de Engenharia do Porto), um seminário de geotermia, organizado pela FEUP (Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto) no âmbito do Projeto GeoAtlantic do Programa Interreg.

Este seminário serviu para divulgar informação geral sobre a geotermia e as suas aplicações (tópico abordado no primeiro dia do encontro) assim como, exemplos de casos de estudo e soluções técnicas (tema do segundo dia do encontro).

O Professor José Martins Carvalho, sócio-gerente da TARH, apresentou os seguintes temas: “Geotermia Industrial em Portugal: uma síntese” e “Geotermia e Termalismo Médico em Portugal”.

 

Sondagem geotérmica inclinada SG1 Chaves

Decorreu no mês de Julho de 2019, a realização de uma sondagem inclinada para a Câmara Municipal de Chaves, para pesquisa e captação de água mineral natural gasocarbónica, a usar como recurso geotérmico na climatização das Termas Romanas, no Largo do Arrabalde.

O projeto e acompanhamento desta sondagem foi da responsabilidade da TARH.

A sondagem atingiu os 69 metros de extensão, com uma inclinação de 25º com a vertical e permite a extração de caudais de exploração de cerca de 5l/s com temperatura de 67ºC.

Esta empreitada foi executada pela firma “Sondagens Casal” com fiscalização do Diretor Técnico da Concessão Hidromineral e Geotérmica das Caldas de Chaves, e sócio-gerente da TARH, Professor José Martins Carvalho, pelo Engenheiro Rui Nogueiro da Câmara Municipal de Chaves e apoio pela geóloga Marina Paiva (TARH).

 

 

 

 

Estudo hidrogeológico de revisão de Perímetros de Proteção de captações de água subterrânea do Montijo

Foi adjudicada à TARH/FCUL, pela PROFICO AMBIENTE, em Fevereiro de 2019, a prestação de serviços de consultoria integrados no Estudo de Impacte Ambiental (EIA) do Aeroporto do Montijo.

No âmbito dos estudos do EIA foi detetado que o traçado previsto para o novo acesso rodoviário ao Aeroporto do Montijo atravessa os perímetros de proteção de algumas captações do abastecimento público dos concelhos de Alcochete e do Montijo. Esta situação não é compatível com o quadro normativo em vigor (Decreto-Lei n.º 382/99, de 22 de setembro) que proíbe o transporte de combustíveis nas zonas alargadas dos perímetros de proteção de captações de água subterrânea para abastecimento público.

Nesse contexto, o estudo destinou-se a avaliar as possíveis soluções de compatibilização do traçado previsto para o novo acesso rodoviário ao Aeroporto do Montijo com os Perímetros de Proteção do conjunto de captações de água subterrânea para abastecimento público. No final foram apresentadas medidas alternativas para conciliar o novo acesso rodoviário e a exploração das captações para abastecimento público.

Seminário Internacional Energia Geotérmica – Uma aposta no futuro (13 de Dezembro de 2017)

Decorreu no passado dia 13 de Dezembro de 2017, nas Termas de São Pedro do Sul, o Seminário Internacional de Energia Geotérmica, organizado pela Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG) juntamente com o Fundo de Apoio à Inovação (FAI). Este encontro teve como objetivo a apresentação de diversos casos de aproveitamentos geotérmicos e de medidas destinadas a promover os usos geotérmicos em Portugal.

O sócio-gerente da TARH, Professor José Martins Carvalho, em representação do Município de Chaves, fez a apresentação de: “40 Anos de Geotermia em Termas Portuguesas: o caso das Caldas de Chaves”.

PARTICIPAÇÃO NO PROJETO “DESENVOLVIMENTO DE MÉTODOS ESPECÍFICOS PARA A AVALIAÇÃO DA RECARGA DAS MASSAS DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, PARA MELHORAR A AVALIAÇÃO DO ESTADO QUANTITATIVO” DA APA

A TARH colaborou na coordenação e na parte técnico-científica, através do sócio-gerente Professor José Martins Carvalho, no Projeto “Desenvolvimento de métodos específicos para a avaliação da recarga das massas de águas subterrâneas, para melhorar a avaliação do estado quantitativo”, desenvolvido pelo ISEP (Instituto Superior de Engenharia do Porto) através do centro de prestação de serviços especializados LABCARGA – Laboratório de Cartografia e Geologia Aplicada, solicitado pela APA (Agência Portuguesa do Ambiente).

Este projeto decorreu de “um extensivo trabalho de pesquisa conducente ao objetivo geral da avaliação da recarga natural das massas de água subterrânea em Portugal Continental, incluindo:

  • breve sistematização e discussão do estado da arte sobre a temática;
  • definição de uma metodologia expedita (Índice de Potencial de Infiltração – IPI) e integradora para avaliação da recarga nos três meios hidrogeológicos incluídos nas massas de água consideradas (poroso, cársico e fraturado) com o intuito de atualizar o sistema de classificação para o estado quantitativo das massas de água subterrânea, bem como a criação de uma plataforma SIG de apoio à decisão de recursos hídricos subterrâneos;
  • criação de zonas‐piloto nalgumas massas de água para ensaiar metodologias e estimar os valores de IPI e de recarga, à escala local;
  • estimar o valor de recarga regional (Índice de Potencial de Infiltração Regional – IPI‐R) para as massas de água subterrânea e análise crítica dos resultados obtidos.”

A apresentação pública teve lugar no dia 9 de maio de 2019 no auditório da Agência Portuguesa do Ambiente.